Pênalti duvidoso revolta Enderson Moreira: "É inadmissível"

  • Carlos Cruz
  • 12/03/2017 20:37
Enderson Moreira diz que árbitro estava perto do lance e deveria assumir sua responsabilidade em campo

O gol que definiu a derrota do América no clássico deste domingo, na Arena Independência, pela sétima rodada do Campeonato Mineiro, deixou o técnico Enderson Moreira irritado. O lance, aos 15 minutos do primeiro tempo, envolveu o zagueiro Renato Justi, que disputava a jogada com o atacante Rafael Sóbis e acabou se desequilibrando e caindo dentro da área. No movimento, o jogador adversário se aproveitou do contato para induzir a arbitragem.

O árbitro Cleisson Veloso Pereira, porém, no primeiro momento, indicou apenas a saída de bola pela linha de fundo. Mas seu auxiliar Ricardo Júnio Souza, que estava no lado oposto à jogada, marcou a infração e o árbitro decidiu acompanhar sua informação e marcou a penalidade com atraso.

A indefinição de Cleisson Veloso Pereira, que estava próximo ao lance, irritou os jogadores e o técnico Enderson Moreira. O técnico destacou que o árbitro deveria assumir suas responsabilidades e tomar as próprias decisões, como autoridade principal da arbitragem no jogo. Ainda mais que ele estava próximo do lance.

“Eu assumo as minhas responsabilidades e acho que o árbitro tem que assumir as dele. Ele não marca o pênalti e é informado pelo auxiliar, do outro lado do campo, que estava uns 40, 50 metros do lance, que foi pênalti. Eu não posso admitir isso. Não vou discutir se foi ou se não foi, acho que o jogador do Cruzeiro foi muito esperto, porque ele trava o movimento e espera o contato. E, é claro que tem contato, não é voleibol ou algum jogo que tem rede, então é claro que tem contato. Agora, o árbitro, a cinco metros, não tomar uma decisão é inadmissível. Isso eu não aceito. Não acho que uma pessoa possa ter a responsabilidade que tem e não assumir se está certo ou errado”, desabafa o técnico americano, que completa.

“Nós enfrentamos hoje um dos melhores times do Brasil, pelo elenco, pelo treinador, pelo envolvimento e organização tática. E nós fomos para cima. Tentamos, buscamos o resultado, que acabou decidido numa falta de coragem para assumir a responsabilidade”.

COMUNICAÇÃO

Enderson também critica o fato de os treinadores serem impedidos de usar comunicação com seus auxiliares, fora de campo, enquanto os árbitros ficam livres para fazer qualquer tipo de comunicação.

“O auxiliar foi quem marcou o pênalti num lance em que estava longe, usando a comunicação com o árbitro, que não assumiu sua responsabilidade, e dizem que é para o bem do jogo. Mas nos, treinadores, não podemos falar com um auxiliar do lado de fora, o que seria pelo bem do jogo. Se tivessem usando a televisão, parando os lances para tirar dúvidas, aí está certo. Mas desse jeito é um absurdo”, completa.

PROGRAMAÇÃO

Os jogadores americanos terão a segunda-feira (13/3) livre. O grupo retorna aos treinamentos na manhã de terça-feira (14/3), no CT Lanna Drumond, para dar início à preparação para enfrentar o América de Teófilo Otoni, no próximo domingo (19/3), às 18h30, no Estádio Nassri Mattar.