América realiza 2ª edição do Festival Nacional das Escolas de Futebol Oficiais

  • Estevão Germano
  • 04/12/2018 19:30
Cerca de 500 atletas mirins puderam jogar nos campos do CT do América através das escolas parceiras do Coelho (Foto: Claudio Eduardo Silva)

O América realizou, no último domingo, a 2ª edição do Festival Nacional das Escolas de Futebol Oficiais. O evento reuniu, no CT Lanna Drumond, diversos núcleos de formação parceiros do América para uma confraternização que proporcionou aos jovens atletas a experiência ímpar de jogar bola nos campos do centro de treinamento do Coelho.

O Lanna Drumond recebeu quase 500 crianças inscritas, desde a categoria Sub-7 até a Sub-15. A 2ª edição do Festival teve uma novidade, que foi a participação da categoria feminina de escolas licenciadas. Além dos jogadores e jogadoras mirins, gestores e professores das Escolas Oficiais, os pais também puderam prestigiar in-loco seus filhos em ação nos campos do CT. Com isso, mais de 1500 pessoas passaram pelo centro de treinamento do Coelho no domingo.

Elói Assis, consultor do projeto das Escolas de Futebol Oficiais do América, contou um pouco do que foi a 2ª edição do festival.

“Realizamos a segunda edição do Festival Nacional, contando com quase 500 crianças inscritas, do Sub-7 ao Sub-15. Fizemos questão de também incluir a categoria feminina, que vem crescendo bastante no nosso projeto de formação. Usamos os sete campos do CT, dividindo cada um em dois e colocando um coordenador em todos eles para cumprirmos toda a tabela de jogos. As partidas foram realizadas rigorosamente dentro dos horários previstos, com arbitragens apropriadas que vieram nesta ocasião com orientações para as crianças, tendo o intuito de ensinar as regras mais do que cobrá-las. Além disso, tivemos a presença do Gilberto Monteiro, coordenador de captação do América, e dos observadores técnicos Célio Costa e Marcelo. Então, eles acompanharam todos os jogos, avaliaram e fizeram anotações do que presenciaram”, explicou.

O Festival aconteceu de 8h às 16h e ofereceu toda a estrutura de campos e espaços de convivência do CT Lanna Drumond. Além dos jogos, os atletas mirins e suas famílias contaram com o serviço de foodtrucks, que ofereceram no cardápio sanduíches, macarronadas, espetinhos, tapiocas, dentre outros alimentos. Por fim, houve uma premiação especial para todas as crianças e adolescentes que jogaram no Festival. As medalhas foram distribuídas de forma igualitária, tanto para os que venceram quanto para os que perderam dentro de campo.

Coordenador do grande evento realizado na estrutura de treinamento do América, Elói Assis também comentou a satisfação de reunir tantas pessoas que fazem parte do projeto de formação do América.

“Foi sensacional a integração que aconteceu entre as Escolas, seus professores, os pais, além das próprias crianças e adolescentes que jogaram. Foi um dia, mais do que nunca, de família americana reunida. O respeito que tiveram pelo CT e pelo América foi algo muito bacana. Montamos uma logística muito boa, com foodtrucks, que supriram a alimentação, e uma premiação com medalhas para todas as crianças participantes, independentemente do resultado em campo. Tivemos todo o apoio do departamento de captação do América e também da Kickball, fornecedora dos materiais de todas as Escolas Oficiais. Estamos muito empenhados no projeto e felizes por vermos um volume de 500 famílias trazendo e prestigiando seus filhos. Acima de tudo, proporcionamos com isso o surgimento de novos torcedores para o América”, completou Elói Assis.

Michael Souza, professor e coordenador da Escola Oficial de Bocaiúva (MG), comemorou a presença no Festival das Escolas Oficiais e a integração com outros profissionais envolvidos no projeto. A Escola de Bocaiúva é uma das mais distantes de Belo Horizonte, mas esteve presente junto a várias outras unidades da capital e do interior mineiro.

“Foi um evento bacana demais. Já tinha vindo no ano passado, quando coordenava a Escola de Divinópolis. Já em julho deste ano, comecei o projeto da Escola de Bocaiúva com o suporte do América. Estamos fazendo um trabalho legal, e essa foi a primeira experiência dos meninos junto a outras escolas. Para mim, este é um sonho realizado, fiquei emocionado por conseguir trazer minha Escola de tão longe e com cinco meses de existência. Pude conversar com os professores e coordenadores de várias escolas, trocar telefones e estabelecer os contatos para marcar jogos e continuar essa interação. Vamos seguir trabalhando, buscando evoluir cada vez mais junto com o América”, disse Michael.

O garoto Douglas, da Escola Oficial do bairro Pirajá, em Belo Horizonte (MG), foi só alegria por conhecer e jogar em um dos campos do Lanna Drumond: “Tenho três meses na escolinha do Pirajá. Gostei muito dessa oportunidade de treinar no CT do América. Fiz dois gols, foi muito bom. Meus pais vieram também e ficaram felizes”.

Kethelen, da Escola Oficial de Dores do Indaiá (MG), também celebrou a chance de ser uma das meninas a desfilar seu talento no gramado do CT: “Achei interessante ter um evento assim e quero que tenha mais vezes. É bom para o nosso futuro. Sou de Dores do Indaiá, e foi muito bom poder ter essa oportunidade de conhecer o América. Tenho o sonho de jogar no time feminino algum dia”.

Eduardo, pai do garoto Ítalo Gabriel, da Escola Oficial de Betim (MG), comemorou por seu filho estar jogando numa escola ligada ao América e ter a oportunidade de vivenciar de perto a estrutura do Clube.

“Pela segunda vez, gostei do evento. É muito bem organizado, os campos estão bons... O pessoal do América está de parabéns. Estou fazendo tudo que posso para que o Ítalo, caso não consiga ser jogador profissional, seja um homem de responsabilidade. A escolinha ensina muito isso também, através dos professores de lá. Mas claro que o sonho de todo pai é ver seu filho jogando no profissional. No América, seria ainda mais especial. O Ítalo estava em outra escolinha antes, mas há seis meses nós recebemos o convite de levá-lo para a Escola do América em Betim e fomos na hora. Estamos muito satisfeitos, e acredito que o pessoal da escolinha também”, contou Eduardo.


Galeria de fotos


04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018
04/12/2018