Paulo Ricardo de Castro é o novo treinador do Sub-20 do América

  • Daniel Hott
  • 08/03/2018 16:52
Técnico chega a BH nesta sexta-feira para assumir o comando do time (Foto: Mourão Panda / América)

O América confirmou, nesta quinta-feira, o novo técnico da categoria Sub-20. Trata-se de Paulo Ricardo de Castro, de 52 anos, que ocupava o cargo de coordenador da base de Ponte Preta. O novo comandante chega ao Coelho para substituir Fred Pacheco, que anunciou sua saída do Clube na última semana.

Paulo Ricardo retorna ao América, Clube onde começou sua caminhada dentro do futebol de base. Depois do Coelho, o treinador passou por Cruzeiro, Atlético-MG, São Paulo, Atlético-PR, Bahia, onde foi coordenador, e Corinthians.

“O América foi o primeiro time que trabalhei em Minas Gerais, dentro dos grandes times mineiros. É uma honra voltar para o Clube e espero ajudar a formar cada vez mais atletas. Vou atuar no fim do processo de formação e espero ajudar muito o Enderson também, fornecendo bons jogadores a ele”, comenta o treinador.

Paulo Bracks, Diretor de Futebol de Base, explica que a escolha de Paulo Ricardo de Castro partiu de um perfil traçado pelo Clube, em busca de um treinador com histórico positivo na formação efetiva de atletas

“O nome do Paulo foi selecionado em razão do trabalho que ele faz de formação e preparação do atleta Sub-20 para integrar o time profissional. Como esse é nosso objetivo em 2018, o perfil traçado foi esse, de um treinador que tenha um histórico de formação. Ele fez isso nos clubes pelos quais passou. Ele tem todo o respaldo da diretoria de futebol profissional, o que vai manter uma harmonia que já existe dentro do Clube”, explica o dirigente.

O primeiro desafio de Paulo Ricardo será no dia 29 de março, diante do Palmeiras, pela Copa do Brasil, em Divinópolis (MG). Até lá, o novo treinador espera observar ao máximo a equipe americana, começando pelo amistoso deste sábado, diante da equipe Sub-20 do Boa Esporte.

“Vou acompanhar o jogo amistoso no sábado e conversar muito com a comissão técnica, para saber qual é o caminho que estava sendo feito. Preciso entender o trabalho que era feito e, aos poucos, implementar minha metodologia. Vou estudar muito o Palmeiras, que é um time que vi jogar na Copa São Paulo. Teremos alguns dias para trabalhar”, afirma.