Categorias de Base do América fazem avaliações específicas na UFMG

  • Marina Almeida
  • 25/02/2020 09:49
Equipes Sub-10 a Sub-13 passaram por testes táticos e de coordenação motora na universidade (Foto: América / Divulgação)

O América realizou uma parceria visando ao aprimoramento da formação em suas categorias de base. Na última semana, as equipes Sub-10 a Sub-13 estiveram na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) para realizar os exames que orientam a comissão para as necessidades fisiológicas de cada atleta.

A equipe Sub-10 realizou o teste de Coordenação Motora com Bola (TCMB) e nas demais categorias, Sub-11, Sub-12 e Sub-13, também fizeram o teste de Conhecimento Tático Declarativo no Futebol (TCTD:Fb). As duas avaliações foram validadas pelo Centro de Estudos em Cognição e Ação (CECA), laboratório científico da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da UFMG.

O Coordenador Técnico da Base, Gibson Moreira explica a importância dessas avaliações e de se conhecer o ritmo de cada atleta. Segundo ele, os procedimentos colaboram com o trabalho que será desempenhado durante a temporada, para compreender o nível de coordenação motora de cada atleta.

“Durante a formação dos atletas, é fundamental que os conteúdos de treino sejam adequadamente ajustados em função das reais necessidades de atletas. Estas necessidades são diferentes para cada jogador, uma vez que há diferenças no ritmo de aprimoramento das competências de jogo em razão de questões genéticas e do histórico do atleta. Por isso, é fundamental conhecer o nível atual dos atletas para adequar cada sessão de treinamento à real necessidade”, explica o coordenador.

Dessa forma, atletas mais coordenados terão maior facilidade no aprimoramento dos fundamentos do jogo no futuro, como passe, chute e domínio. Por essa razão, é fundamental ter um dado quantitativo sobre o nível de coordenação dos atletas, de forma a dar aos treinadores elementos para ajustar o processo de treinamento.

Gibson Moreira ainda comenta sobre o ponto positivo de se obter os resultados para a preparação da comissão técnica no dia a dia com o atleta.

“Os resultados são fundamentais por dois motivos. O primeiro é auxiliar o clube na correta avaliação do potencial dos atletas. Os indicadores quantitativos auxiliam nas tomadas de decisão em relação ao potencial do atleta para se manter no clube e avançar nas categorias, sempre com o foco de alcançar, de maneira qualificada, a equipe profissional”, analisa o Coordenador Técnico da Base.