Após crescer com cobranças, Felipe Augusto se vê adaptado ao América

  • Daniel Hott
  • 21/04/2020 17:16
Titular em todos os jogos, atacante tem três gols e três assistências na temporada 2020 (Foto: Mourão Panda / América)

Três gols e três assistências em 12 jogos. O início de Felipe Augusto com a camisa do América tem sido extremamente positivo. Contratado em janeiro, o atacante esteve presente como titular em todos os jogos do Coelhão e se consolidou como peça importante na engrenagem da equipe, que está invicta na temporada.

A liderança do Campeonato Mineiro e a presença na terceira fase da Copa do Brasil são indícios do início positivo para o América. Para Felipe, os números da equipe são amis importante do que as metas individuais.

“Fico muito feliz por ajudar com assistências e gols, pois sabemos que não é fácil manter bons números nesses quesitos. Tento ajudar da melhor maneira possível, seja com gols ou assistências, mas o grande objetivo é o coletivo do América. Busco dar meu máximo para que o time seja beneficiado e quero continuar trabalhando para que os gols e as assistência continuem acontecendo”, comenta.

A adaptação rápida ao estilo de jogo da equipe foi um trunfo de Felipe Augusto. Ele confessa que teve dificuldades nos primeiros jogos, mas depois deslanchou e cresceu de rendimento. O momento de virada foi no clássico contra o Cruzeiro-MG, no Mineirão, quando o atacante teve ótima atuação e deu uma assistência.

“Acredito a presença em todos os jogos foi importante para me adaptar ao jeito da equipe, que já vinha jogando junto desde o ano passado. Pude me entrosar mais com os companheiros nesta sequência. No início, tive um pouco de dificuldades e de cobranças, mas isso passou. Estou em um novo momento, de evolução, e a tendência é crescer ainda mais”, garante.

O alto nível de cobrança nos treinamentos diários é um dos motivos de sucesso do Coelho, na visão de Felipe Augusto. Para ele, o técnico Lisca consegue extrair o melhor de cada atleta para que o desempenho coletivo seja beneficiado.

“O Lisca é de suma importância, pois é quem nos mostra as direções dentro de campo e como devemos atuar. Nos treinos, ele nos ajuda o máximo e passa muito conteúdo bom, pois tem um repertório muito bom de treinamentos. Ele tem uma parcela muito grande de importância na nossa boa fase e temos muito para evoluir com ele”, avalia.

Confira abaixo outros trechos da entrevistas de Felipe Augusto: